A melhor biblioteca online grátis

As Onze Mil Varas

FORMAT: PDF EPUB MOBI
DATA DE LANÇAMENTO: 2017
TAMANHO POR ARQUIVO: 11,40
ISBN: 9788573214727
LÍNGUA: PORTUGUÊS
AUTOR: Apollinaire,Guillaume
PREÇO: GRATUITO

Ao melhor As Onze Mil Varas pdf, que você encontrará aqui

Оescrevendo:

Esse livro inaugura a coleção à deriva...dirigida por Samuel Leon, que tratará de textos do gênero erótico. A Erótica Textual De ApollinaireEm sua vasta tradição, o romance de aventuras tem por característica provar alguma coisa. O herói está no centro dessa provação, e suas peripécias volta e meia o colocam na berlinda. Ele então se desembaraça e segue em frente, puxando o fio da meada de novas experiências. Em sua contrafação erótica, pode-se dizer que o herói aventureiro põe à prova o próprio corpo (e o alheio), sua potência e ato nos quesitos resistência e consumação de si, a imponderável ruína. O marquês de Sade foi um dos grandes cultores desse gênero, cuja obra está marcada por um empreendimento de extrema violência. Não é à toa que o autor de As onze mil varas o chamou de “o espírito mais livre que jamais existiu”. A propósito, diferentemente de seu mestre, a violência erótica de Apollinaire conta com o consentimento dos personagens, ainda que muitos pereçam na empreitada. Se em Sade a crueldade é condição do prazer libertino, em Apollinaire ela é o efeito colateral do mesmo, isto é, um acidente ou uma consequência inevitável e sem culpa. Com efeito, em As onze mil varas, o mal praticado contra o outro é o coroamento dos prazeres do protagonista, um certo príncipe, aliás, hospodar, chamado Vibescu, “Mony” para os íntimos, que se dá ao luxo (e à luxúria) de viver chafurdado em sucessivas e impagáveis orgias. O dito “príncipe” é soberano no sentido de que vive para o gozo dos sentidos, sem precisar produzir para viver, podendo consumar-se livremente no excesso e no gasto sem reservas da libertinagem. A contribuição de Apollinaire para o gênero parece confirmar a tese de que aos olhos dos modernos e contemporâneos a violência dos signos eróticos diminui consideravelmente seu impacto levando-se em conta o requinte e a delicadeza do trabalho formal de linguagem, de modo que, por vezes, a violência propriamente dita acaba se transmudando em humor, tal a descrição, por exemplo, do membro viril como “um boneco gordinho que quer se esquentar no seio da mamãe. Como ele é bonito! Tem uma cabecinha vermelha e nenhum cabelo”. De fato, em As onze mil varas, as peripécias libertinas não se fazem sem erotizara própria linguagem (o que se deixa ver muito bem na tradução de Letícia Coura), produzindo um efeito de significância, aquilo que Roland Barthes define como produção sensual dos sentidos. É nesse ponto que a experiência erótica e a poética coincidem. Neste clássico da literatura erótica moderna, o leitor irá se deliciar com metáforas, comparações e analogias inusitadas, que parecem brotar espontaneamente dos conluios carnais do príncipe Vibescu e de seus parceiros, de modo a refinar, não apenas a expressão poética do erótico, mas o sentido mesmo do erotismo, o qual, ao contrário da mera pornografia referencial (em que se enfoca o erotismo do outro), não é nada óbvio ou banal, mas essencialmente mágico e singular. Contador Borges

...guir o riso do pânico. Obra emblemática do erotismo modernista — escrita por um dos mais importantes autores do modernismo francês, Guillaume Apollinaire — a novela As onze mil varas desafia o leitor a distinguir o riso do pânico ... As Onze Mil Varas ... . Se o humor é um componente fundamental do livro — a As Onze Mil Varas, foi publicada por Apollinaire, em 1907. A obra conta a história de um príncipe romeno, Mony Vibescu, um libertino, que troca a pacata Bucareste pela vida agitada de Paris, a cidade luz onde: ". as mulheres, são todas belas e levam também uma vida fácil". As Onze Mil Vergas Avaliação da FNAC Guillaume Apollinaire foi um dos maiores poetas modernas de língua francesa, um homem erudito e culto, presente em todos os movimen ... As Onze Mil Varas ... . as mulheres, são todas belas e levam também uma vida fácil". As Onze Mil Vergas Avaliação da FNAC Guillaume Apollinaire foi um dos maiores poetas modernas de língua francesa, um homem erudito e culto, presente em todos os movimentos de vanguarda até à morte, em Paris, no ano de 1918. As Onze Mil Vergas tem um código ISBN 9789721041530 e consiste em 120 páginas. Aproveite a oportunidade para abrir e salvar o livro As Onze Mil Vergas do autor Guillaume Apollinaire online. Os livros estão disponíveis em diferentes formatos, de acordo com a sua conveniência: PDF. As Onze Mil Vergas conta a história de um príncipe romeno, Mony Vibescu, no seu périplo de depravação em busca de excitação e aventura que o leva de Bucareste a Paris, passando por vários países da Europa e culminando na China. ‎ "As personagens de Guillaume Apollinaire são as típicas personagens dos contos eróticos sadianos: buscam o prazer a qualquer custo, nem que para isso tenham que matar ou morre r." As Onze Mil Varas , foi publicada por Apollinaire, em 1907. A obra conta a história de um prínci… De fato, em As onze mil varas, as peripécias libertinas não se fazem sem erotizara própria linguagem (o que se deixa ver muito bem na tradução de Letícia Coura), produzindo um efeito de significância, aquilo que Roland Barthes define como produção sensual dos sentidos. É nesse ponto que a experiência erótica e a poética coincidem. As Onze Mil Varas ou os Amores de Um Hospedar | Guillaume Apolinnaire | ISBN: 9788573214727 | Kostenloser Versand für alle Bücher mit Versand und Verkauf duch Amazon. De fato, em "As onze mil varas", as peripécias libertinas não se fazem sem erotizar a própria linguagem (o que se deixa ver muito bem na tradução de Letícia Coura),...